A desvalorização do real perante o dólar continua abrindo oportunidades para os produtos da indústria do vestuário catarinense. A crise no setor afetou as empresas, mas não a demanda. Em 2015, mesmo com a retração de 10% na produção interna e na exportação e a perda da competitividade em função da crise econômica no Brasil, uma pesquisa recente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (ABIT) indica que o volume de itens exportados deve crescer 1,5% neste ano.

Outra informação relevante é a do Relatório de Vestuário do Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC, indicando que Santa Catarina foi o estado brasileiro que mais exportou peças de vestuário nos últimos 12 meses, sendo responsável por mais de um terço do valor exportado. Além disso, no período analisado, o estado foi o que menos apresentou queda nas exportações – menos de 3% – diante da média de 17% de queda dos outros quatro maiores estados exportadores do setor.

Os maiores importadores dos produtos de vestuário catarinenses são os vizinhos Paraguai e entre os artigos mais exportados, estão as camisetas de algodão, camisas e blusas femininas, peças de malha e de algodão para bebês. Os artigos com menor queda nas vendas são boas oportunidades a serem exploradas, já que, se a demanda continuar igual e existe menos oferta das empresas.

Start Export

No Estado, há diversas iniciativas para incentivar os pequenos negócios a exportar produtos do setor têxtil, entre eles, projetos direcionados à exportação de vestuário e outros artigos com o objetivo de desenvolver as empresas locais, torná-las competitivas e melhorar sua produtividade.

Uma iniciativa é a do Start Export, projeto da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), cujo objetivo é auxiliar empresas catarinenses iniciantes no processo de exportação, otimizar seus resultados e minimizar os riscos de sua participação no mercado internacional. O programa é desenvolvido em 12 meses e oferece um assessor permanente após a implantação do processo de exportação.

No Brasil, a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), órgão criado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio o DA para apoiar às empresas brasileiras que desejam competir no mercado internacional. Os consultores da Apex oferecem estudos, contatos com tradings e potenciais clientes, associações setoriais e capacitação para tornar a empresa mais competitiva à internacionalização.

Fonte: Economia SC