Com apenas 19 leitos de UTI disponíveis para o tratamento de casos graves da Covid-19, casos como o de Moisés José dos Santos, de 57 anos, chamam atenção. Ele é paciente que faz hemodiálise, mas depois que apresentou sintomas do novo coronavírus, não conseguiu mais atendimento.

Em um vídeo enviado ao RJ1, o genro do paciente faz um apelo e pede ajuda para conseguir um dos poucos leitos disponíveis.

“No dia 29 do mês passado, meu sogro passou muito mal, com sintomas da Covid. Foi solicitada uma ambulância para levá-lo para o hospital. Depois de 5 horas, a ambulância chegou e foi direcionado para a UPA. Mas lá não tem o tratamento necessário”, contou Israel.

O genro de Moisés disse que conseguiu na Justiça uma autorização para que seu sogro fosse transferido da UPA para um hospital especializado, no prazo de 12 horas. O prazo dado já expirou e a clínica onde ele fazia a hemodiálise disse que não poderia recebê-lo por conta da suspeita de Covid-19.

“Precisamos de um auxílio. Esperamos que tudo possa ser resolvido o quanto antes”, pediu Israel.

Até a manhã deste sábado (2), o município contava com 338 leitos de UTI, contudo, a fila de espera por internação de casos graves já possui 372 pacientes.

Severina Cosme da Silva, de 72 anos, também está esperando por uma vaga de internação. Diabética e com problemas cardíacos, ela está há quatro dias em uma cadeira da Coordenação de Emergência Regional (CER) do Leblon, na Zona Sul.

Uma tomografia mostrou que Severina está com 80% do pulmão comprometido pelo vírus.

Já Marcos Aurélio Gaygher, de 45 anos, está há dois dias em uma cadeira na CER da Ilha do Governador, na Zona Norte. Com 45 anos, Marcos faz parte do grupo de risco por conta da hipertensão.

Na rede pública, atualmente, são 372 pacientes suspeitos ou confirmados que aguardam uma transferência para leitos de UTI. Na última quarta-feira (29), eram 317 pessoas nessa fila.

De acordo com o Núcleo do Rio de Janeiro do Ministério da Saúde, são 170 leitos exclusivos para tratamento da Covid-19 no Hospital Federal de Bonsucesso.

No entanto, apenas 17 estão disponíveis. Destes, apenas 11 são de UTI. Todos estão ocupados. Porém, os leitos vagos não poderão ser utilizados enquanto a RioSaúde não fizer a contratação de profissionais para trabalharem no hospital.

Até lá, 9 pacientes com coronavírus estão internados na emergência comum da unidade federal aguardando um leito.

No Hospital do Fundão, também na Zona Norte, são 50 leitos exclusivos para pacientes com a Covid-19, sendo 21 de UTI e 29 de enfermaria. Todos estão ocupados.

A situação no Hospital Gafrée e Guinle, na Zona Sul, é a mesma. São 11 leitos de unidade intermediária e 7 de UTI. Todos lotados.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do RJ, a rede hospitalar estadual conta com 724 leitos exclusivos para paciente com a Covid-19. Desse total, 572 são em hospital de referência para o tratamento do coronavírus. São 287 leitos de UTI e 285 de enfermaria.

Além dessas unidades, há ainda mais 152 leitos para o tratamento da doença em áreas de isoladas em outras unidades do estado.

Ao todo, 2.341 pacientes estão internados na rede estadual. Todos os leitos de UTI e enfermaria estão ocupados. Só há vagas no Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda, e no Hospital de Campanha Lagoa-Barra.



Source link