Partculas que imitam clulas do corpo humanos para absorver patgenos e toxinas prejudiciais foram testadas em laboratrio para combater o novo coronavrus

Nanopartculas envoltas em membranas de clulas pulmonares e clulas imunes, que atraem e neutralizam o Sars-Cov-2, conseguiram interromper a reproduo do vrus da Covid-19 em experimentos de laboratrio. Os primeiros dados que descrevem esse possvel tratamento foram publicados na revista cientfica Nano Letters.

As chamadas “nanoesponjas” foram desenvolvidas por engenheiros da Universidade da Califrnia em San Diego e testadas por pesquisadores da Universidade de Boston. Nos testes conduzidos em ambiente de cultura celular, as nanopartculas fizeram com que o vrusSars-Cov-2 perdesse quase 90% do seu poder.

Em vez de atacar o prprio vrus, as nanoesponjas so projetadas para proteger as clulas saudveis. “Tradicionalmente, desenvolvedores de medicamentos pesquisam os detalhes do patgeno para encontrar alvos drogveis. Nossa abordagem diferente: s precisamos saber quais so as clulas-alvo”, explica Liangfang Zhang, professor de nanoengenharia da Escola de Engenharia da Universidade de San Diego.

Como o novo coronavrus infecta clulas epiteliais do pulmo como o primeiro passo na infeco, cada nanoesponja – mil vezes menor que a largura de um cabelo humano – consiste em um ncleo de polmero revestido em membranas celulares extradas de clulas epiteliais pulmonares. “Mesmo que oSars-Cov-2 sofra mutao, desde que o vrus possa invadir as clulas que estamos imitando, nossa abordagem ainda deve funcionar”, acredita Zhang.

Os macrfagos, que so os glbulos brancos que desempenham um papel importante no combate infeco, tambm so muito ativos no pulmo durante o curso da doena. Por isso, os pesquisadores criaram uma segunda esponja envolta em membrana de macrfagos.

Uma dose teraputica inunda o pulmo com um trilho de nanoesponjas, que poderiam afastar o vrus das clulas saudveis. Uma vez que o vrus se liga a uma esponja, “ele perde sua viabilidade e ser absorvido por nossas prprias clulas imunolgicas”, afirma Zhang.

O tratamento ainda tem um potencial preventivo, uma vez que as nanoesponjas podem permanecer por algum tempo no pulmo. “Se um vrus vier, ele poder ser bloqueado se houver nanoesponjas esperando por ele”, completa o pesquisador. Os cientistas tambm esperam que o tratamento funcione contra qualquer novo coronavrus ou at outros vrus respiratrios que possam desencadear a prxima pandemia.

Via: UC San Diego News Center

Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:


Nanotecnologia coronavirus covid19

Compartilhe com seus seguidores



Source link