[ad_1]

A primeira vítima foi um homem de 62 anos que estava internado no Hospital Sancta Maggiore, da Rede Prevent Sênior, no Paraíso, Zona Sul da capital paulista. Ele morava na cidade de São Paulo e tinha histórico de diabetes e hipertensão, além de hiperplasia prostática — um aumento benigno da próstata que não é uma doença, mas uma condição comum em homens mais velhos e que pode causar infecções urinárias.

Na época, o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência para o coronavírus no estado de São Paulo, informou que a vítima teve os primeiros sintomas da doença no dia 10 de março, sendo internada quatro dias depois, dia 14, e falecendo às 16h03 de segunda-feira, 16 de março.

Procurados pelo G1 nesta quarta-feira (15), o sobrinho da senhora preferiu não gravar entrevista. “Minha família e eu precisamos de paz e sossego nesse momento. 🙏”, disse.

O número registrado pelos cartórios por meio da da Central de Informações do Registro Civil, no entanto, é de 1201 mortes por Covid-19 ou suspeita da doença de 16 de março até as 19h de 15 de abril. São 423 mortes a mais do que a Secretaria registra.

O tempo de processamento dos testes pode explicar a diferença entre os números que a secretaria divulga e o que os cartórios do estado registram. Além disso, os cartórios também consideram os casos suspeitos na contagem.

[ad_2]

Source link