Depois de dois meses, o vertedouro de Itaipu, um dos principais atrativos turísticos da usina, na fronteira do Brasil com o Paraguai, vai voltar a jorrar água de forma ininterrupta pelo menos nos próximos dez dias, prazo que deve coincidir com o Dia dos Namorados, 11 de junho.

Nesta quarta-feira (1º), quem passou pela usina já pôde conferir no local o vertimento de mais de 1.400 metros cúbicos de água por segundo, o equivalente ao volume médio das Cataratas do Iguaçu.

O pico de vertimento deve acontecer de sábado (4) para domingo (5), quando a vazão por ali deve oscilar entre 3 mil e 4 mil metros cúbicos de água por segundo.

É sem dúvida um apelo adicional para visitar a usina, que se torna uma atração ainda mais bonita com o espetáculo. Um ponto perfeito para o registro de fotografias, principalmente a tradicional selfie tendo como fundo o cenário das águas fazendo um balé no concreto.

A abertura do vertedouro ocorre normalmente quando há excedente de água não usada para a geração de energia elétrica. Mesmo operando com carga máxima e batendo sucessivos recordes de produção, agora, em 2016, Itaipu está tendo sobra de água, sem prejuízos para a geração.

Depois de dois meses

A última vez que o vertedouro ficou aberto de forma ininterrupta foi de 22 de fevereiro a 30 de março. Foram 40 dias de abertura sem fechamento. Depois disso, o vertedouro abriu várias vezes, mas apenas de forma esporádica.

Recorde de geração

Itaipu registrou mais um recorde de geração em 2016. A usina produziu 43 milhões de MWh de janeiro a maio. Foram os melhores cinco meses de todos os tempos da geração da usina, que começou a produzir em maio de 1984.

Essa energia toda seria suficiente para abastecer o Brasil inteiro por 30 dias e uma cidade do porte de São Paulo por um ano e meio. Essa quantidade também supera os 39,5 milhões de MWh estimados de geração anual da usina de Belo Monte.

Neste semestre, Itaipu tem a expectativa de superar os 51 milhões de MWh, o que será outra marca inédita. Em duas vezes, 2012 e 2013, a Itaipu atingiu os 50 milhões de MWh nos primeiros seis meses do ano. Foram os dois anos de maior produção da usina. EM 2013, Itaipu estabeleceu o recorde mundial da hidrelétrica, com 98,6 milhões de MWh.

Além da geração expressiva, destacam-se também os ótimos indicadores de eficiência e o atendimento imediato a substituições de outras fontes nos sistemas do Brasil e Paraguai.

Fonte: TN Petróleo