A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou os dadosanalisados até maio de 2016, quando as exportações de máquinas e equipamentos foram 2,0% maiores do que as registradas em abril e 9,9% superiores às de maio de 2015. No ano, o setor reverteu seu cenário de queda e passou a apresentar o primeiro resultado positivo (0,9%). Entretanto, há dúvidas se o atual câmbio, inferior a R$ 3,50, vai permitir a manutenção dessa tendência.

A análise setorial permite observar crescimento nas vendas externas de maio para a maioria dos segmentos, com destaque para setor fabricante de máquinas para bens de consumo, que registrou crescimento de 47,5% em 2016 em função da venda de máquinas para a indústria de alimentos, e para o setor de máquinas para indústria de transformação, que teve crescimento de 20,4%.

Entre os principais destinos das exportações brasileiras de máquinas e equipamentos estão América Latina, Europa e Estados Unidos, com aumento da participação da China, que saltou de 1% em 2015 para 10% em 2016.

A queda nas importações de máquinas e equipamentos dá sinais de estabilidade. Em maio, foi de 0,8% em relação a abril e chegou a US$ 1,199 bilhão. Na comparação com maio de 2015 a queda foi de 25%. No ano, as importações do setor recuaram 30,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Os dados foram divulgados pelo Departamento de Competitividade, Economia e Estatística da Abimaq.

Fonte: Aduaneiras