[ad_1]

Fortaleza alcança há duas semanas seguidas menos 10 óbitos diários em decorrência da Covid-19 – a doença provocada pelo novo coronavírus, conforme Boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgado nesta sexta-feira (7). No pico da pandemia, os registros eram superiores a 80 a cada 24 horas.

De acordo com o boletim, os casos fatais representam um arrefecimento da infecção na cidade e confirmam “o atual padrão de transmissão residual”. Ao todo, a capital cearense já soma 43.423 casos confirmados da enfermidade, dos quais 3.733 foram fatais.

Ceará tem a menor taxa de contágio do coronavírus; média é de 0,7%

O documento também traz a informação de que a média móvel de novos óbitos ocorridos no município é o menor da série histórica, que data do fim de março deste ano. A média móvel é uma forma de ter uma noção da evolução da doença de forma mais real, considerando a soma de todos os dias da semana e dividindo o número obtido por sete (equivalente aos dias).

Desta forma, nesta sexta-feira (7), a média móvel de novos óbitos em Fortaleza é de duas mortes por dia. No fim de março, quando se tem os primeiros registros de falecimentos, esse número era de 2,1. No auge da pandemia, nos 20 primeiros dias de maio, eram 98% óbitos por dia registrados em toda a cidade.

Conforme o boletim, a partir da última semana de maio, a média móvel de óbitos passa a cair tão rapidamente quanto subiu para o pico, no fim de abril. Para se ter uma noção, a redução nessa variável entre o pico (91,6) e hoje (2,0) é de 91,6%.

A capital também reduziu ainda mais a média móvel de novos casos confirmados da Covid-19. Atualmente, o número está em 8,9 casos por dia; no início da transmissão em Fortaleza, em março, a média era de 14,6. Já no auge da transmissão do vírus, durante o pico, que ocorreu entre o fim de abril e o meio de maio, esse número atingiu 867,4 casos ao dia. De lá para cá, a redução é de 99%.

Conforme a SMS, “a transmissão pode ser considerada residual e sujeita a pequenas oscilações”. Contudo, a Pasta afirma que ampliar a testagem molecular (realizada pelo exame de RT-PCR – o mais confiável dos testes) “é essencial nessa fase para o monitoramento oportuno de eventuais surtos localizados ou inversão da tendência epidemiológica”.

186 mil casos da doença no Ceará

O Ceará chegou a 186.563 casos da Covid-19 e 7.946 mortes confirmadas pela doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Sáude às 16h58 desta sexta-feira (7). Para identificar o novo coronavírus, já foram realizados 516.941 testes.

Fortaleza é a capital brasileira com a maior taxa de mortalidade por Covid-19, com 139,8 mortes para cada 100 mil habitantes. Desde o início da pandemia, 3.733 pessoas morreram com a doença na cidade.

Veja outras informações da plataforma:

  • A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68,11%;
  • A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 37,86%;
  • A letalidade da doença no Estado é de 4,3%.

Queda na vacinação em postos de saúde do Ceará

Queda na vacinação em postos de saúde do Ceará

Veja como está o plano de retomada por região:

  • Fortaleza segue na fase 4 (cinemas e bares ainda não têm permissão de funcionamento)
  • Municípios da Macrorregião de Fortaleza avançam para a fase 4;
  • Macrorregiões do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam na fase 2;
  • Macrorregião Norte segue para a fase 2;
  • Macrorregião do Cariri segue para a fase 1

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1

[ad_2]

Source link