As receitas das exportações para Coreia do Sul e Japão aumentaram 11% e 7%, respectivamente, em 2016. Entretanto as importações de eletrônicos dos países asiáticos recuaram entre janeiro e maio.

Nos cinco primeiros meses do ano, os embarques para sul-coreanos renderam US$ 1,215 bilhão. Já as vendas para japoneses geraram US$ 1,975 bilhão para empresários e produtores brasileiros. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A pauta de exportação para os dois países é dominadas por commodities. Nos cinco primeiros meses do ano, a Coreia do Sul comprou, principalmente, bagaços e resíduos do óleo de soja (US$ 183 milhões), milho em grão (US$ 164 milhões) e álcool etílico (US$ 134 milhões).

As importações japonesas do Brasil seguiram lógica parecida. Os produtos mais comprados, neste ano, foram milho em grão (US$ 322 milhões), pedaços e miudezas de galos e galinhas (US$ 306 milhões) e minério de ferro (US$ 255 milhões), conforme noticiado pelo jornal DCI.

Fonte: DCI