A exportação de milho em grãos já é 167% superior ao mesmo período do ano passado no Porto de São Francisco do Sul. Outro destaque é a exportação de vergalhões de aço, que subiu 193%. A exportação total nos seis primeiros meses teve uma alta de 3%.

“Diante de um cenário de crise econômica, fechar os seis primeiros meses do ano com números positivos nos deixa confiantes para entrar no segundo semestre. O Porto de São Francisco do Sul, por ser de múltiplo uso, consegue encontrar alternativas para manter a movimentação mesmo em períodos de instabilidade econômica”, afirma o presidente do Porto de São Francisco do Sul, Paulo César Côrtes Corsi.

Uma dessas alternativas foi a volta da exportação de celulose via Porto de SãoFrancisco do Sul. Depois de 25 anos, o Porto voltou a operar celulose exportando a carga da empresa sul-matogrossense Eldorado Brasil, uma das maiores do país. “O Brasil é um dos grandes produtores mundiais de celulose e deve isso a suas características naturais, como a capacidade de reflorestamento. Por sua vez, a celulose é um dos poucos produtos que com a alta do dólar se mantém competitivo no mercado, pois existe muita demanda. Para o Porto de São Francisco do Sul, entrar na rota de exportação de celulose significa uma excelente oportunidade de desenvolvimento”, diz.

A importação também teve destaque nesse primeiro semestre, impulsionada pela movimentação de fertilizantes, que cresceu 74%. A importação total já é 20% superior aos primeiros seis meses do ano passado.

O primeiro navio com 5 mil toneladas de celulose começou a operação em fevereiro e teve como destino o Golfo dos Estados Unidos. Depois de 25 anos, o Porto de São Francisco do Sul voltou a fazer operação de celulose. A carga é da empresa sul-matogrossense Eldorado Brasil e a viabilização da movimentação via São Francisco se deu graças ao esforço conjunto do armador Gearbulk e da Seatrade – Serviços Portuários e Logísticos.

Fonte: Economia SC