Durante entrevista coletiva depois de inaugurar em Taubaté as novas instalações esportivas do Centro de Atividades do Sesi-SP “Luiz Dumont Villares”, Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Ciesp e do Sesi-SP, voltou a defender o ajuste fiscal por meio do corte de despesas, sem aumento de impostos.

“Esperamos do governo Temer que ajuste as contas do governo pela redução de gastos e desperdícios – que há muito, no governo.” Skaf lembrou que o governo herdou um déficit de R$ 170 bilhões da gestão anterior, mas disse que se “apertar o cinto, acerta as contas, sem aumento de impostos”.

O presidente das entidades da indústria lembrou que a campanha “Não Vou Pagar o Pato”, com forte apoio da sociedade, tem conseguido impedir o aumento de impostos.

Paralelamente ao ajuste, o governo, defendeu Skaf, precisa estimular as obras de infraestrutura, com regras claras para concessões e parcerias público-privadas (PPPs). Também tem que incentivar as exportações, para a retomada do crescimento econômico. “Precisamos rapidamente voltar a gerar empregos, renda, fortalecer as empresas – e daí, sim, aumentar a arrecadação, pelo crescimento.”

Empreendedores e investidores, no Brasil e no exterior, voltarão a investir no país, quando houver a retomada da confiança, perdida pelo governo anterior, disse Skaf. “Quando há investimento e consumo, há crescimento da economia, o que gera empregos e riqueza no país. É o que queremos.”

Fonte: FIESP