[ad_1]

Acompanhamos aqui os desenvolvimentos sobre a pandemia do novo coronavírus à escala internacional.

Mais atualizações

11h41 – Continente africano ultrapassa as 800 mortes

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África ultrapassou as 800 com mais de 15 mil casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente.

Segundo o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (CDC África), nas últimas 24 horas, o número de mortes registadas subiu de 788 para 815 enquanto as infeções aumentaram de 14.528 para 15.284.


11h40 – Produção automóvel sofre grande quebra em Portugal


A pandemia levou rupturas nas cadeias de aprovisionamento, nos canais de distribuição, na disponibilidade de mão-de-obra e na continuidade da actividade dos fornecedores, o que se traduziu no  inevitável encerramento das unidades de produção automóvel a operar em Portugal a partir do final de Março.

11h14 – Reino Unido. Taxa de mortalidade superior ao anteriormente previsto

Quase metade das mortes registadas em Londres na semana até 3 de abril foi atribuída à pandemia covid-19, revelou o Instituto de Estatísticas Nacionais britânico (ONS), que confirmou uma taxa de mortalidade superior à oficial.

De acordo com os dados publicados hoje pelo ONS, 1.170 mortes das 2.511 registadas naquele período na região de Londres foram relacionadas com o novo coronavírus, mais do dobro das registadas nas regiões de West Midlands (400) ou Noroeste (418) de Inglaterra.

O ONS confirmou também que a taxa de mortalidade provocada pela covid-19 até 3 de abril foi cerca de 50% superior aos números inicialmente publicados pelo ministério de Saúde para Inglaterra e País de Gales, que foram atualizados posteriormente.

11h04 – Alemanha com números mais baixos de infeção

Um número mais baixo de infeções pelo novo coronavírus foi registado esta terça-feira na Alemanha mas o Robert Koch Institute avisa que não se pode dizer que os números estão de facto a cair, devido ao menor número de testes realizados durante o período de Páscoa.

Os alemães foram instados a continuar disciplinados e manter as regras de distanciamento social. O número de infeções subiu em 2082 casos, totalizando mais de 125 mil casos. É o quarto dia consecutivo em que existe um menor número de infeções.

Em termos de óbitos foram registados mais 170, num total de 2969 vítimas mortais. Apesar de uma taxa de letalidade baixa, as autoridades alemãs pretendem manter as restrições à liberdade de movimento.

10h45 – Câmara de Melgaço levantou cordão sanitário em Parada do Monte

O presidente da Câmara de Melgaço anunciou hoje o levantamento do cerco sanitário em Parada do Monte, medida implementada a 25 de março para travar a propagação da covid-19 que atingiu um total de nove pessoas naquela aldeia.

10h18 – Espanha regista subida no número diário de mortes

Esta terça-feira a Espanha regista mais 567 mortes por covid-19, de acordo com o ministro da Saúde do país vizinho.

São agora mais de 18 mil as vítimas mortais em Espanha, 172 mil pessoas infetadas e mais de 67 mil pessoas recuperadas.


9h53 – Imunologista Maria de Sousa morreu com covid-19


A imunologista Maria de Sousa morreu na noite desta terça-feira nos cuidados intensivos do Hospital São José, vítima de covid-19 e depois de uma semana de internamento.

Exerceu atividade científica em Inglaterra, Escócia e Estados Unidos, tendo um doutoramento em Imunologia. Foi para o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, na Cidade do Porto e em 1987 torna-se Professora Catedrática de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

Maria de Sousa percebeu a migração organizada dos linfócitos, células do sistema imunitário, e tem por essa descoberta o seu nome em qualquer manual sobre o sistema imunitário.

9h50 – Primeiro-ministro fala sobre desigualdades na escola

Em entrevista à Rádio Observador, António Costa declarou que as medidas tomadas para a Páscoa tiveram um balanço positivo e desejou um bom fim de ano letivo para o terceiro período que agora se inicia. O primeiro-ministro falou das desigualdades que estar em casa pode causar à aprendizagem dos alunos mas sustenta que o apoio da televisão foi criado para tentar amenizar diferenças.

Sobre o levantamento de restrições, o primeiro-ministro é perentório. Apenas quando houver possibilidade reduzida de risco de contágio. Será um processo gradual que terá de esperar pelo declínio da pandemia em Portugal.

“Quando começarmos a retirar as medidas, o vírus ainda não desapareceu, por isso vai ser sempre de forma gradual e progressiva, porque quando começarmos a retirar as medidas, o nível de contágio vai de novo aumentar. Tem de ser gradual para garantir que esse aumento nunca ultrapassa o limite do que é controlável”, lembrando que depois do levantamento de restrições no país, haverão mais surtos do vírus.

Em relação a um terceiro período de emergência em Portugal, António Costa declarou que as restrições ao movimento vão manter-se mas que poderá haver alívio em algumas questões direito coletivo dos trabalhadores. Ainda não existem datas para o levantamento mas o primeiro-ministro revelou que pode acontecer consoante regiões e idade da população.

Sobre o impacto da pandemia na economia, António Costa revelou ao Observador que não exclui a possibilidade de nacionalizar a TAP. Lembrando a importância da companhia aérea portuguesa, o primeiro-ministro afirmou que não se pode dar ao luxo de perder a empresa.

9h26 – “Não temos condições de igualdade para todos os alunos”, alerta FNE

João Dias da Silva, secretário-geral da Federação Nacional da Educação, vincou esta terça-feira no Bom Dia Portugal que nem todos os alunos têm acesso ao material tecnológico necessário para fazer face a um terceiro período de aulas em casa.

“Este tipo de relação entre professor, escola e alunos é necessariamente insuficiente, nem que todos os alunos tivessem computador, nem que todos os alunos tivessem internet”, enfatizou o dirigente sindical.

9h11 – Índia prolonga período de estado de emergência

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, anunciou que o estado de emergência no país vai ser prolongado até ao dia 3 de maio para conseguir conter a pandemia do novo coronavírus.

No entanto, Modi revelou que os estados que evitaram o surto poderão reabrir “atividades essenciais”.

8h51 – Um quarto dos portugueses deixou de recorrer ao sistema de saúde

Um em cada quatro portugueses afirma ter deixado de ir ao sistema de saúde por causa do novo coronavírus. Um inquérito da Universidade Católica para a RTP e o jornal Público revela mais dados sobre os dias de confinamento e do estado de emergência.

8h48 – Rússia com crescimento recorde do número de infetados

A Rússia ultrapassou os 20 mil casos de infeção pelo novo coronavírus, com um crescimento recorde de 2774 novos casos desde ontem. O Centro de Resposta contra o Coronavírus anunciou que no total existem 21102 casos confirmados no país.

Houve também um aumento no número de vítimas mortais. São agora 170 as pessoas que morreram, um aumento de 22 pessoas.

8h41 – “Um terceiro período absolutamente atípico”

Em entrevista ao Bom Dia Portugal, por videochamada, o secretário-geral da Fenprof afirmou que “as escolas têm estado a dar o seu melhor” para fazer face a uma situação de exceção como a atual.

“Estou convencido de que as escolas, os professores, os alunos e as famílias, que neste processo são fundamentais, vão dar o seu melhor, mas ninguém espera que cheguemos ao final do ano e que o resultado seja aquele que nós teríamos se tudo tivesse corrido normalmente”, assinalou Mário Nogueira, que antecipou uma “avaliação complicada”.

8h32 – Governo francês prevê que PIB caia oito por cento este ano

O governo francês prevê uma queda de oito por cento no Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, anunciou o ministro da Economia, Bruno Le Maire.

“Teremos uma previsão de crescimento que será fixada em -8% para o projeto de lei das finanças retificativo”, disse o ministro.

8h28 – Filipinas aumentam número de testes para encontrar casos desconhecidos

As Filipinas introduziram uma abordagem mais agressiva em relação ao programa de testes para despitar a covid-19 no país. Serão realizados mais testes para encontrar pelo menos 15 mil casos desconhecidos da infeção, num dos países da Ásia que medidas mais restritas tomou.

As Filipinas registam perto de 5000 infeções que vitimaram 315 pessoas.


7h19 – Estados Unidos com mais 1509 mortos em 24 horas



Os Estados Unidos contaram, em 24 horas, 1509 mortos devido ao novo coronavírus, um número quase idêntico ao de domingo, indicou a Universidade Johns Hopkins.

O número total de mortes desde o início da pandemia no país subiu para 23.529, sendo os Estados Unidos a nação mais atingida pela doença respiratória Covid-19, de acordo com os dados de segunda-feira.

Mais de 550 mil pessoas estão infetadas, referiram os centros de prevenção e de luta contra as doenças (CDC) norte-americanos.

Também na segunda-feira, o Estado de Nova Iorque, centro da epidemia nos Estados Unidos, ultrapassou a barreira dos dez mil mortes causadas pela Covid-19. O governador do Estado, Andrew Cuomo, considerou que “o pior já passou”, salientando que, pela primeira vez numa semana, o número de óbitos diário baixou para níveis inferiores a 700.

Para o diretor dos CDC, Robert Redfield, os Estados Unidos estão a “aproximar-se do pico” da doença.

7h00 – Ponto de situação

Começa esta terça-feira o terceiro período do ano letivo. Todos os alunos vão regressar às aulas a partir de casa.

Do primeiro ao nono ano, o ensino à distância online vai ser complementado com a tele-escola a partir de dia 20 na RTP Memória.

Já conhecida a grelha do espaço #EstudoEmCasa vai ocupar parte da programação do canal ao longo do terceiro período, das 9h00 às 17h50, com aulas de 30 minutos para as diferentes disciplinas.

Os professores querem, todavia, poder aceder aos temas a tratar em cada emissão, de forma a prepararem o trabalho com os alunos

Para já, os alunos têm aulas à distância via internet e plataformas digitais. Está ainda em cima da mesa o eventual regresso às escolas dos alunos dos 11.º e 12.º anos.
A situação dos lares

Há um pedido urgente ao Presidente da República e ao Governo, por parte da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade e a União das Misericórdias Portuguesas, para retirar dos lares os utentes com Covid-19.

Em comunicado, as duas instituiições alertam para a existência repetida, nos últimos dias, de situações dramáticas de doentes residentes em lares a que não estão a ser garantidos cuidados básicos de saúde.
Nova orientação da DGS sobre máscaras

As autoridades de saúde recomendam agora que todas as pessoas utilizem máscara sempre que estejam em espaços fechados e frequentados por muita gente, como supermercados, lojas, farmácias e transportes públicos.A Ordem dos Médicos considera que as máscaras só terão eficácia se forem de uso obrigatório.

Esta nova orientação indica que o uso de máscara deve ser encarado como uma medida adicional de proteção ao distanciamento social, higiene das mãos e etiqueta respiratória.

A Direção-Geral da saúde alerta, no entanto, que não devem ser utilizadas as chamadas máscaras cirúrgicas, porque estas fazem falta aos profissionais de saúde.
O quadro em Portugal
Portugal registava na segunda-feira 535 vítimas mortais da Covid-19, mais 31 do que no domingo, e 16.934 infetados (mais 349), segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

A região Norte era ainda a que registava o maior número de mortos (303), seguida do Centro (123), de Lisboa e Vale Tejo (96) e do Algarve, com nove mortos. Havia registo de quatro óbitos nos Açores.

Eram 16.934 os casos confirmados, mais 349 face à véspera.

A grande maioria das 16.934 pessoas infetadas pelo SARS-CoV-2, 16.747, estavam a recuperar em casa. Encontravam-se internadas 1187 pessoas, das quais 188 em unidades de cuidados intensivos.
O quadro internacional


Em França foi prolongado por mais um mês o estado de emergência. O Presidente francês, Emanuel Macron, avisou que a pandemia está longe de dominada.

Por outro lado, Espanha começou a aliviar as restricções na economia. Empresas e indústrias que não são consideradas essenciais retomaram a atividade.

Em 24 horas morreram em Espanha 517 pessoas com Covid-19. Foi o segundo valor mais baixo em quase três semanas.

A pandemia da Covid-19 já fez mais de 118 mil mortos e infetou quase 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Os Estados Unidos são o país com maior número de mortes, 23.529, e de infetados, que são mais de 570 mil.

A Europa, com mais de 962 mil infetados e cerca de 80 mil mortos, é o continente que regista o maior número de casos. Itália é o segundo país com mais vítimas mortais, 20.465. Tem mais de 159 mil casos confirmados.

[ad_2]

Source link