[ad_1]

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu nesta sexta-feira (4) que os americanos “continuem vigilantes” para o novo coronavírus durante o feriado do Dia do Trabalho, celebrado no país no próximo dia 7 de setembro.

Trump disse em entrevista coletiva que “todos precisam ser cuidadosos” e “ter bom senso “. Em feriados anteriores, como o Memorial Day e o 4 de julho (independência), o número de infecções por Covid-19 aumentou consideravelmente.

“Com o fim de semana do Dia do Trabalho chegando, precisamos que todos sejam cuidadosos”, disse o mandatário dos EUA. ” tenham bom senso e sigam nossas recomendações anteriores como o distanciamento social, uso de máscaras e evitar aglomerações.”

“Já estamos dando a volta por cima. As vacinas estão chegando. Já temos o tratamento (com plasma) e outros continuam vindo”, disse Trump.

O infectologista Anthony Fauci, o maior especialista em doenças do país, já havia alertado nesta semana que os estados do Meio-Oeste, que tiveram um salto no número de novos casos de coronavírus, deveriam tomar ainda mais cuidado durante o fim de semana do feriado.

Os EUA têm mais de 6 milhões de casos confirmados da doença segundo o levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins nesta sexta. O país tem também o maior número de mortos por Covid-19 em todo o mundo com mais de 187 mil vidas perdidas.

Foto mostra líder da oposição russa, Alexei Navalny, participando de uma passeata em Moscou em fevereiro de 2019 — Foto: Pavel Golovkin/AP

Na entrevista coletiva, Trump também afirmou que ainda não viu provas de que o opositor russo Alexei Navalny foi envenenado. O presidente ressaltou entretanto que não tem motivo para duvidar da Alemanha, que afirma poder provar o envenenamento.

“Não sei exatamente o que aconteceu. Acho trágico, terrível, não deveria acontecer”, comentou. “Ainda não tivemos nenhuma prova”, acrescentou, prometendo que vai analisar o assunto.

Trump indicou ter ouvido que a Alemanha descobriu que Navalny, que se sentiu mal durante um voo na Sibéria no mês passado, foi envenenado com o agente nervoso fatal Novichok. Desde então, a Europa ameaçou impor novas sanções, e a Otan pediu uma investigação internacional sobre a suposta tentativa de assassinato do principal opositor do presidente russo, Vladimir Putin.

A Alemanha comunicou os parceiros da Otan e o secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg, disse que há “provas além de qualquer dúvida” de que Navalny foi envenenado com Novichok.

“Nós mesmos não vimos”, ressaltou Trump, referindo-se às provas dos investigadores alemães. “Ficarei muito aborrecido se for este o caso.”

Playlist: Notícias internacionais

[ad_2]

Source link