[ad_1]

Segundo a secretaria, outras 107 mortes estão sob investigação. Há 698 confirmações de Covid-19 em MG e outros 57.012 casos suspeitos aguardando resultados de exames no estado.

Nesta sexta-feira, foram confirmadas pela SES as mortes de um homem de 79 anos em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, e de uma mulher de 46 anos, em Divinópolis, na Região Centro-Oeste.

As histórias dos pacientes que morreram

A primeira paciente que morreu em decorrência do coronavírus em Minas Gerais foi Marlene Eunice Vanucci, de 82 anos, moradora de Belo Horizonte. Ela foi internada no Hospital Biocor em Nova Lima em 21 de março, com quadro de febre, tosse e desconforto respiratório, sendo transferida para UTI dois dias depois. Ela morreu no dia 29 de março. A paciente também tinha doença cardiovascular crônica, diabetes mellitus e pneumopatia crônica.

No dia da morte de Marlene, sua nora fez um desabafo emocionado em uma rede social:

“Gostaria imensamente que os governantes fossem mais respeitosos com cada vida ceifada e sufocada pelo coronavírus. Sr. Ministro Mandetta se mantenha técnico e firme, não se deixe abater por ignorância. Mais amor e mais empatia”, escreveu ela.

Morte de Marlene foi confirmada pelo médico do Biocor — Foto: Reprodução Redes Sociais

Morte de Marlene foi confirmada pelo médico do Biocor — Foto: Reprodução Redes Sociais

O segundo paciente que morreu com exame positivo para a Covid-19 foi o Darcy Gomes Parreiras, de 66 anos, morador de Belo Horizonte, que estava internado no Hospital Semper e morreu três dias depois de dar entrada, em 30 de março. Ele tinha cardiopatia e diabetes mielitus.

Darcy Gomes Parreiras — Foto: Arquivo pessoalDarcy Gomes Parreiras — Foto: Arquivo pessoal

Darcy Gomes Parreiras — Foto: Arquivo pessoal

O terceiro paciente foi um homem de 44 anos, morador de Mariana, que morreu em hospital na própria cidade, no dia 30 de março. Ele não tinha nenhuma comorbidade. Esta morte em Mariana havia sido confirmada na manhã do dia 1º de abril, em vídeo publicado no Instagram da prefeitura da cidade.

A quarta paciente que morreu em decorrência da doença é uma mulher de 76 anos, moradora de Belo Horizonte, cujos sintomas apareceram pela primeira vez no dia 23 de março. O resultado do exame comprovando que ela estava com a Covid-19 saiu no dia 31 de março e ela morreu no dia 1º de abril. Ela tinha doença cardiovascular e diabetes.

Houve um erro na notificação da data da morte desta paciente, que levou o Ministério da Saúde a anunciar, equivocadamente, que a primeira morte por coronavírus no Brasil tinha ocorrido em janeiro. Na última sexta-feira, 3 de abril, a pasta voltou atrás e se corrigiu.

No dia 30 de março, morreu o quinto paciente em decorrência da Covid-19 em Minas Gerais, um morador de Uberlândia com 80 anos. Ele apresentou os sintomas de febre, tosse e dispneia no dia 29 de março e morreu no dia seguinte. Ele tinha doença pulmonar crônica e doença cardiovascular.

Na mesma cidade, morreu uma paciente de 61 anos, que apresentou os primeiros sintomas, com febre, dispneia e mialgia no dia 26 de março e não resistiu no dia 2 de abril. Ela tinha doença renal crônica.

Cláudio Manoel Ricardo estava internado no Hospital Aroldo Tourinho e morreu na quarta-feira (1º) — Foto: Arquivo pessoalCláudio Manoel Ricardo estava internado no Hospital Aroldo Tourinho e morreu na quarta-feira (1º) — Foto: Arquivo pessoal

Cláudio Manoel Ricardo estava internado no Hospital Aroldo Tourinho e morreu na quarta-feira (1º) — Foto: Arquivo pessoal

O sétimo paciente que morreu foi o Cláudio Manoel Ricardo, de 69 anos, morador de Montes Claros. Ele não tinha nenhuma comorbidade. Segundo o filho do idoso, Claudinei dos Santos Ricardo, em entrevista ao G1 no dia 2 de março, o pai viajou antes do período de Carnaval para rever a família e retornou no dia 16 de março.

“Infelizmente, meu pai não levou isso a sério, ele dizia que era coisa da mídia. Quando resolveu viajar, eu o alertei para não ir e mesmo sabendo dos riscos, ele foi porque não acreditava na doença. Meu pai era 100% saudável, não tinha problema de saúde e tinha feito um check-up recentemente”, afirmou o filho do paciente.

Na madrugada do dia 17, Cláudio Ricardo começou a sentir os primeiros sintomas da doença. O idoso foi internado no hospital Aroldo Tourinho no dia 27 de março e entubado dois dias depois. Ele morreu no dia 1º de abril. Sua família está em isolamento e sendo monitorada.

O oitavo paciente, divulgado nesta segunda-feira (6) pela Secretaria de Estado da Saúde, é um morador de Belo Horizonte, de 82 anos, que sentiu os primeiros sintomas no dia 24 de março, foi internado no dia 30 e morreu neste domingo, 5 de abril. Ele tinha hipertensão arterial e hipotireoidismo.

Já o nono paciente é um morador de 72 anos da cidade de Ouro Fino, no Sul de Minas. Ele teve início de sintomas, com febre, no dia 21 de março. Foi internado no dia 24 e morreu no dia 31 de março. O exame confirmando que ele estava com a Covid-19 saiu neste domingo, 5 de abril. Ele não tinha nenhuma comorbidade.

Prefeitura de Ouro Fino confirma que homem de 72 anos morreu por Covid-19 — Foto: Reprodução EPTVPrefeitura de Ouro Fino confirma que homem de 72 anos morreu por Covid-19 — Foto: Reprodução EPTV

Prefeitura de Ouro Fino confirma que homem de 72 anos morreu por Covid-19 — Foto: Reprodução EPTV

Segundo a assessoria da Prefeitura de Ouro Fino, João Batista Bueno filho morava na zona rural e apresentou os sintomas após uma viagem de cruzeiro no Ceará, onde estava com a esposa.

O décimo paciente é um idoso de 78 anos, natural de Pouso Alegre, no Sul de Minas. Seus sintomas apareceram no dia 24 de março, ele foi internado no dia 27, o exame confirmando positivo para a Covid-19 saiu no dia 1º de abril e ele morreu no dia 5 de abril. Ele tinha doença pulmonar obstrutiva crônica e hipertensão arterial.

A 11ª paciente é de Belo Horizonte, uma mulher de 60 anos que já tinha neoplasia e hipertensão arterial. Seus sintomas apareceram no dia 1º de abril, ela foi internada no dia 6, já com teste positivo para a Covid-19, e morreu na manhã desta terça-feira (7).

Coronavírus: Saiba as dicas para evitar a doença

Coronavírus: Saiba as dicas para evitar a doença

A 12ª paciente é uma moradora de Paraisópolis de 88 anos que já tinha comorbidade. De acordo com a administração municipal, a paciente estava internada no Hospital Escola, em Itajubá.

A idosa morreu no último sábado (4), mas o resultado dos exames foi confirmado na tarde desta terça (7). A idosa apresentou os sintomas depois de ter contato com o filho de 53 anos, que havia testado positivo pra doença.

Ela chegou a ser internada, onde permaneceu por duas semanas em um hospital em Paraisópolis. Como ela apresentou piora nos sintomas acabou transferida pra Itajubá, onde morreu. Outra morte suspeita na cidade continua em investigação na cidade.

A 13ª paciente é de Belo Horizonte: uma idosa de 92 anos que não tinha doença prévia conhecida.

E o 14º paciente é um homem de 59 anos, de Varginha, no Sul de Minas, que já tinha fator de risco. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Varginha, trata-se de um homem que estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Regional e morreu no domingo (5). O exame que constatou Covid-19 chegou à prefeitura nesta terça (7).

De acordo com Vinício Rocha, responsável Políticas Públicas em Varginha, o paciente fazia parte do grupo de risco e tinha diabetes e doença cardiovascular. Ainda segundo ele, o homem não viajou e a suspeita é que ele tenha recebido visitas e contraído o novo coronavírus.

Professor da UFJF, José Luiz Rezende Pereira, é a primeira vítima do coronavírus em Juiz de Fora  — Foto: Alexandre Dornelas/UFJFProfessor da UFJF, José Luiz Rezende Pereira, é a primeira vítima do coronavírus em Juiz de Fora  — Foto: Alexandre Dornelas/UFJF

Professor da UFJF, José Luiz Rezende Pereira, é a primeira vítima do coronavírus em Juiz de Fora — Foto: Alexandre Dornelas/UFJF

José Luiz Rezende Pereira, de 70 anos, é a 15ª vítima da doença no estado. Ele era professor da Faculdade de Engenharia da UFJF e foi vice-reitor da instituição por dois mandatos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a vítima tinha histórico de viagem nacional exatamente 14 dias antes do início dos sintomas. Ele possuía hipertensão arterial.

Nesta sexta-feira (10), a SES confirmou a morte de um homem de 79 anos em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Segundo a pasta, ele morreu no dia 28 de março. No mesmo boletim, foi confirmada a morte de uma mulher de 46 anos, de Divinópolis, na Região Centro-Oeste. Ela era médica e não possuía comorbidades.

[ad_2]

Source link