[ad_1]

A Secretaria de Saúde registra, até o início da tarde desta quarta-feira (15), 74.223 infectados pelo novo coronavírus no Distrito Federal. São 569 casos a mais do que os registrados no boletim anterior, divulgado na noite de terça (14).

De acordo com o levantamento, 974 pessoas morreram por Covid-19. São 14 novos óbitos confirmados nas últimas horas. Do total de vítimas da infecção, 81 moravam em outros estados, mas buscaram atendimento na capital.

Em meio à alta nos casos e enquanto os números se aproximam da marca de 1 mil mortos, bares e restaurantes voltaram a abrir, nesta quarta-feira (veja detalhes abaixo). Ao mesmo tempo que a taxa de ocupação dos leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede pública chega a 78,4%.

Segundo o GDF, também há 13.349 (18,1%) pacientes que ainda estão com o vírus ativo no corpo, outros 80,7% já se recuperaram.

Entre os 654 leitos de UTIs reservados para Covid-19 na rede pública, 477 estavam ocupados até as 12h desta quarta (15) – o que representa uma taxa de 78,4%. Na rede privada, das 255 vagas, 238 estão em uso (79,9%).

No Hospital Regional da Ceilândia (HRC) – local que concentra número de infectados, 9,2 mil casos do novo coronavírus e mais de 200 mortes – todas as vagas de UTI estão ocupadas, inclusive os 22 leitos em anexo construído na unidade por meio de doação, inaugurado há dois dias.

Na região, ao todo, há 32 leitos de UTI, todos eles para pacientes adultos. Atualmente, o hospital regional atende apenas pacientes com Covid-19. A região e a cidade vizinha, Sol Nascente e Pôr do Sol, passam por restrição no comércio, apenas atividades essenciais podem funcionar.

Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19

Nesta terça (15), bares e restaurantes voltaram a abrir após decreto do governador Ibaneis. Os estabelecimentos devem seguir uma série de regras sanitárias, como o distanciamento de 2 metros entre mesas, com limitação de até seis clientes em cada uma delas.

Nesta quarta-feira, o governo do DF ampliou o horário de funcionamento de shoppings centers do DF. Os estabelecimentos passam a funcionar por duas horas a mais, das 11h às 21h.

Alimentos servidos em restaurante self-service no DF; estabelecimento abriu as portas nesta quarta-feira (15), após mais de quatro meses fechado — Foto: Brenda Ortiz/G1

Apesar das medidas de flexibilização, ainda na segunda-feira (13), o governador afirmou que a capital está no “pior” momento da pandemia, porque “as pessoas não conseguem mais se recolher dentro das residências”.

O GDF afirmou que está reforçando a fiscalização do uso de máscaras em parques. As áreas estão abertas para atividades individuais como caminhada e pedal.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

[ad_2]

Source link