Nas últimas 24 horas, mais 2.038 pessoas entraram para o registro de infectados com o novo coronavírus, em Minas Gerais. De acordo com o boletim divulgado na manhã deste domingo (12) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), 75.851 pessoas estão com a doença em todo o estado.

Entre esses casos, 1.576 morreram com a doença. Um aumento de 26 casos com relação ao que foi divulgado ontem pela SES.

Ainda de acordo com o governo de Minas, o número de pessoas que se recuperaram da doença subiu de 49.050 para 49.769, um total de 719 pacientes no registro das 24 horas. Desde o início da pandemia, 8.583 pessoas foram internadas e 67.268 passaram por isolamento domiciliar.

Em 2020, 28.512 pessoas foram internadas por síndrome respiratória aguda grave, 1009% a mais em relação ao mesmo período de 2019.

A rede pública testou, até domingo, 52.666 pessoas.

Dos 853 municípios mineiros, 757 já tiveram ao menos um caso do novo coronavírus. Isso representa quase 89% do total de cidades do estado.

O município com mais casos da doença continua sendo Belo Horizonte, 10.618, com 249 mortes. Em seguida, aparecem Uberlândia (9.161), com 139 mortes; Ipatinga (3.630), Juiz de Fora (2.579) e Governador Valadares (2.217).

A maioria dos pacientes que morreram em decorrência do novo coronavírus são homens: 56% do total. E idosos: 76% tem mais de 60 anos. 35% são de cor branca e 35% de cor parda. Além disso, 83% dos óbitos ocorreram em pacientes que já tinham fatores de risco, principalmente hipertensão, diabetes e doença cardiovascular.

Outros fatores de risco registrados foram pneumopatia, doença renal, transtornos mentais, doença neurológica, tabagismo, neoplasia, hipotireoidismo e doença genitourinária.

No início da pandemia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) informava qual era a comorbidade de cada paciente que havia morrido com a Covid-19. Em abril, no entanto, a pasta parou de informar. Questionada, a SES disse que, pela “possibilidade de ocorrência em municípios de pequeno porte”, “os pacientes podem ser facilmente identificados, quando descritas características específicas”. “Assim sendo, no intuito de mantermos a confidencialidade das informações fornecidas pelos pacientes e/ou familiares, passamos a não mais divulgar o descritivo detalhado de informações por paciente”.

O município com mais mortes até agora foi Belo Horizonte, com 249. Em seguida, Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 139 óbitos, Juiz de Fora, na Zona da Mata, com 70, Ipatinga, com 58, e Governador Valadares, com 55.



Source link