Com a implantação do Porto Seco de Teresina, o estado por ganhar uma base de cargas nos aeroportos de Parnaíba e da Flórida a fim de facilitar a exportação de produtos do Piauí para os Estados Unidos. A capital piauiense é a única que não possui essa estrutura portuária, mas o processo de construção da estrutura já foi iniciada e a primeira parte deve ficar pronta no primeiro semestre de 2017.

A estrutura física que será construída pelo Governo de Estado, no terreno doado pela prefeitura no Polo Industrial Sul. Após a conclusão da primeira etapa no ano que vem, será iniciada a parte que compete à Receita Federal para implantação da estrutura necessária para o funcionamento.

Com investimentos iniciais de R$ 8 milhões, já garantidos pelo Governo, facilitará importação e exportação de vários setores da economia.

Com a operacionalização do Porto Seco de Teresina, o estado é diretamente beneficiado com impostos que ficam aqui.

A instalação do Porto Seco em Teresina além de facilitar o comércio das empresas do Piauí com exterior, deve injetar até R$ 15 milhões na economia do Estado, resultado dos impostados cobrados pelas transações.

No ano passado, o governador Wellington Dias se reuniu com representantes da Câmara de Comércio Brasil – Estados Unidos da Flórida (BACCF) e responsáveis por prestar consultoria especializada a fim de auxiliar empresários piauienses a adentrar o mercado internacional. O encontro teve como objetivo discutir novos investimentos para o estado a partir da exportação de produtos piauienses.

“Alguns investidores americanos mostraram interesse em atuar aqui estabelecendo uma ponte para importação e exportação entre o Piauí e os Estados Unidos. Essa reunião foi importante para definirmos um intercâmbio na área do turismo, mineração, produção de energia, destacadamente a eólica, mas também leilões de energia hidrelétrica, gás e petróleo”, explicou na época o governador.

No encontro realizado no ano passado, Wellington Dias discutiu a implantação do Porto Seco em Teresina e uma base de cargas nos aeroportos de Parnaíba e da Flórida a fim de facilitar a exportação de produtos do Piauí para os Estados Unidos.

Ficou acertado na reunião que os dois países criarão uma câmara de interesses, reunindo órgãos do governo e empresários, a fim de dar celeridade às negociações e que, dentro de um prazo de um ano, serão definidas as estratégias para definir quais produtos piauienses terão mais aceitação no mercado externo.

O estado americano possui seis aeroportos, mas três fazem ligação com o Brasil, tanto com cargas, como passageiros. O Aeroporto Internacional de Miami faz transporte de cargas através da ABSA Cargo Airline, pela TAM faz transporte de passageiros. O Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood tem linhas da Azul por pelo Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). O Aeroporto Internacional de Orlando, principal porta de entrada para a Disney, tem voos da Azul, Tam e Delta Airlines.

Fonte: 180 Graus