O Brasil registrou mais 49.298 casos de covid-19 em 24 horas, e o número total de infectados pelo coronavírus chegou a 3.456.652. Os dados foram computados até as 18h30 desta 4ª feira (19.ago.2020) pelo Ministério da Saúde.

Foram notificadas 1.212 mortes desde o dia anterior. O total subiu para 111.100.

O Ministério da Saúde estima que 2,6 milhões de pessoas que contraíram a doença já se recuperaram. Outras 730,3 mil estão em acompanhamento.

O Brasil é o 2º país do mundo com mais mortes e mais casos de covid-19. Só os Estados Unidos, com 5,7 milhões de infectados e 176 mil mortes, têm números maiores.

MORTES

Das 1.212 mortes notificadas em 24 horas, 279 ocorreram nos últimos 3 dias. O Ministério da Saúde ainda não divulga diariamente as mortes por data de ocorrência, conforme anunciado na 1ª quinzena de junho pelo ministro interino Eduardo Pazuello.

Há outras 3.173 mortes em investigação para determinar se a causa foi o novo coronavírus.

DIAGNÓSTICOS

Sudeste e Nordeste acumularam 60% dos casos confirmados nesta 4ª feira.

MÉDIA DE CASOS E MORTES

Os 2 gráficos a seguir mostram o número de mortes e de novos casos diários, mas também a média móvel dos últimos 7 dias. A curva matiza eventuais variações abruptas, sobretudo porque nos fins de semana há sempre menos casos relatados.

A média móvel de novas mortes confirmadas em 7 dias está abaixo de 1.000 há 8 dias consecutivos. A última vez que a curva se manteve abaixo desse nível por 1 período tão longo foi de 11 a 18 de junho.

A média semanal de casos está acima de 35.000 desde 22 de julho. Registrou queda pelo 3º dia seguido.

SITUAÇÃO NOS ESTADOS

Em 3 Estados, a média móvel de mortes por covid-19 em 7 dias está em trajetória de alta. Outras 11 unidades da Federação estão em situação de estabilidade, e 13 registram queda.

Para saber a situação de cada Estado, é feita a comparação da média móvel de mortes nos 7 dias anteriores com o mesmo número há 14 dias.

Se essa variação for de até 15%, para mais ou para menos, as mortes na unidade da Federação estão estáveis. Se o número for maior de 15%, em alta. E quando for negativo e menor que -15%, em queda.

Situação de estabilidade ou de queda não significa que a transmissão do coronavírus esteja sob controle naquele Estado, e nem que seja seguro afrouxar os cuidados diante da pandemia. Os dados do infográfico abaixo servem como indicativo do quanto estão sendo eficientes as políticas de enfrentamento à covid-19 em cada unidade federativa –tanto em relação às ações de prevenção ao contágio quanto em relação ao atendimento aos infectados.

Eis a curva da média móvel com a mortalidade em cada Estado:

MORTES PROPORCIONAIS

Poder360 também calcula o número de vítimas a cada milhão de habitantes. A taxa de Roraima é a mais elevada do país: 949 mortes por milhão. Na Bélgica, o país onde a doença mais mata em relação ao tamanho da população, são 859.

A Itália é o 5º país nesse ranking, com 586 mortes por milhão. Além de Roraima, outras 13 unidades da Federação têm mortalidade maior: Ceará, Amazonas, Rio de Janeiro, Pernambuco, Sergipe, Amapá, Espírito Santo, Pará, Mato Grosso, Distrito Federal, Acre, Rio Grande do Norte e São Paulo.

Os Estados Unidos, país com maior número total de vítimas, têm 532 mortos por milhão de habitantes. É o 8º no ranking nesse quesito, imediatamente a frente do Brasil.

Continuar lendo



Source link