A média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 692 óbitos, uma variação de -21% em relação aos dados registrados em 14 dias. A média móvel de casos foi de 27.659 por dia, uma variação de -29% em relação aos casos registrados em 14 dias. Foi a maior queda no número de novos casos que o Brasil registrou desde o início da pandemia.

A Covid-19 já provocou mortes em 4.303 dos 5.570 municípios do país, mostra o Mapa do Coronavírus – levantamento exclusivo feito pelo G1. São Paulo está no topo do ranking, com mais de 11 mil mortes. Veja a situação da doença na sua cidade.

Em todo o mundo, os três países com mais mortes são: Estados Unidos (quase 192,4 mil), Brasil (129,5 mil) e Índia (76 mil).

Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19

Abaixo, o G1 reúne as principais notícias do dia sobre coronavírus:

Quantas regiões de São Paulo já estão na fase amarela do plano de flexibilização?

Pela primeira, todas as regiões do estado estão na fase amarela de classificação do plano de flexibilização, que permite o funcionamento de bares, restaurantes, comércio e outras atividades não essenciais.

Para que as regiões evoluam para a fase verde, em que são permitidos eventos, convenções e atividades culturais com público em pé, é necessário uma estabilidade de 28 dias na fase amarela. Por isso, a gestão estadual também anunciou nesta sexta que as alterações do Plano São Paulo para evolução de fase passarão a acontecer uma vez por mês. A regra anterior permitia que as mudanças fossem feitas a cada duas semanas para evolução de fase.

13ª atualização do Plano SP: Ribeirão Preto (SP) e Franca (SP) avançam para fase amarela. — Foto: Divulgação / Governo do Estado de São Paulo

Como será a colossal e complexa missão de distribuir a vacina contra coronavírus pelo mundo?

Ainda não existe uma imunização em escala global contra a Covid-19, mas a Agência Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês) já está trabalhando com companhias aéreas, aeroportos, organizações internacionais de saúde e empresas farmacêuticas em um plano para criar uma ponte aérea mundial.

Isso porque a distribuição de uma vacina contra a doença causada pelo novo coronavírus para diversos países do mundo deve ser o maior desafio logístico já enfrentado pela indústria de aviação.

Segundo a IATA, levando-se em consideração um programa de vacinação com apenas uma dose por pessoa, serão necessários cerca de 8 mil aviões Boeing 747 — os jumbo jets.

IATA diz que vacina contra covid-19 seria o maior desafio enfrentado pelo setor de transportes — Foto: Getty Images/via BBC

Playlist: perguntas e respostas sobre o coronavírus



Source link