O estado de São Paulo superou a marca de 500 mil casos confirmados de coronavírus nesta terça-feira (28), cinco meses após o primeiro registro da doença, que aconteceu em fevereiro. O total de mortes desde o início da pandemia chegou a 22.389 em todo o estado.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, o governo de São Paulo não divulgou na terça-feira o boletim diário de novas mortes e casos por coronavírus a tempo do balanço nacional feito pelo Ministério da Saúde. Os dados de terça-feira foram divulgados nesta quarta-feira (29), junto com os dados do dia.

Veja os novos registros no estado de SP nas últimas 24 horas:

  • 330 mortes
  • 13.896 casos confirmados

Veja os novos registros no estado de SP na terça-feira (28):

  • 383 mortes
  • 12.647 casos confirmados

Veja o total no estado de SP desde o início da pandemia:

  • 22.389 mortes
  • 514.197 casos confirmados

As novas confirmações em 24 horas não significam, necessariamente, que as mortes e casos aconteceram de um dia para o outro, mas que foram contabilizadas no sistema neste período. Os valores costumam ser menores aos finais de semana e segundas-feiras, devido ao atraso de notificações.

A média móvel de mortes por Covid-19, que corrige a discrepância entre os dias da semana, se mantém estável em relação a 14 dias atrás. Apesar disso, os números diários ainda geram preocupação: o estado de SP está há 16 dias acima de 260 óbitos diários e há mais de 2 meses acima de 200 mortes por dia.

Já a média móvel de novos casos, que considera os registros diários dos últimos 7 dias, está em 10.679 confirmações por dia. Em relação a 14 dias atrás, a média móvel cresceu 44%. Aumentos acima de 15% no índice de duas semanas atrás são considerados indicadores de aceleração do número. Nesta segunda-feira (27) foi a primeira vez que a média móvel de casos por dia supera 10 mil desde o início da pandemia em SP.

Antes com estabilidade, o estado voltou a ter tendência de alta na média móvel de novos casos no sábado (25). Segundo o governo, o aumento é justificado pela maior testagem da população.

“Nós aumentamos a média móvel e nós temos elevado a despeito do número de represamento de novos casos. Nós temos uma avaliação muito rígida. Uma das possibilidades que nós estamos avaliando é a questão da testagem. Nós temos de abril a junho um aumento de 500% nos testes que foram feitos, uma média de 21.500 testes por dia. Nas últimas semanas dobramos a quantidade de testes e isso é muito importante porque, apesar de termos uma elevação de 70% dos casos confirmados, nós não tivemos impacto nem no número de mortes nem de internações nas UTI”, afirmou o secretário da Saúde Jean Gorinchteyn.

Internações e ocupação de UTIs

Nesta quarta, a taxa de ocupação dos leitos das unidades de terapia intensiva (UTI) se manteve estável em 65,5% no estado e de 63,3% na Grande São Paulo, em relação à terça-feira.

Já o número de pacientes internados com suspeita ou confirmação de Covid-19 foi de 12.605 nesta quarta, sendo 5.214 em enfermaria e 7.391 em UTI. Os dados de terça-feira não foram informados.

Ausência de dados na terça

Os dados de novas mortes e casos por coronavírus costumam ser divulgados pela gestão João Doria (PSDB) durante coletiva de imprensa no início da tarde ou disponibilizados no site da Fundação Seade ao longo do dia. Nesta terça, no entanto, a equipe de saúde do governo relatou dificuldade para extração dos dados no sistema de notificação do Ministério da Saúde.

“Quero lembrar que hoje, infelizmente, por conta de mudanças no sistema e-Sus, não temos as atualizações dos dados. Isso acontecerá nas próximas horas e muito possivelmente no período da tarde esses dados serão ofertados”, afirmou o secretário da Saúde Jean Gorinchteyn em coletiva de imprensa.

Posteriormente, a Secretaria Estadual de Saúde divulgou uma nota na qual afirma que na verdade o problema de extração de dados ocorreu no Sivep-Gripe, que contabiliza casos graves e mortes, e não no e-SUS, que contabiliza casos leves da doença.

“A Secretaria de Estado da Saúde informa que os dados de casos de Covid-19 desta terça-feira (28) estão em reprocessamento pelas equipes de Tecnologia da Informação e Vigilância Epidemiológica. Foi necessário readequar a rotina de extração das informações do SIVEP, uma vez que o Ministério da Saúde inseriu novos campos no sistema de notificação dos casos graves, e esta alteração impactou o processo de extração automatizada realizada diariamente pela Secretaria. Mantendo o compromisso com a transparência e com informações corretas e qualificadas, a pasta divulgará os números tão logo haja normalização destes processos”, disse a pasta.

Brasil tem 88.634 mortes por coronavírus, informa consórcio de imprensa sem dados de SP

O G1 questionou o Ministério da Saúde sobre a alteração no Sivep, que afirmou que a mudança nos campos de preenchimento foi combinada com as secretarias. A pasta afirmou também que não foi constatada instabilidade no e-SUS.

“Os campos foram atualizados atendendo pactuação feita com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). O Ministério da Saúde está à disposição de gestores que necessitem de auxílio com o sistema. O sistema de registro de notificações e-SUS Notifica não apresentou nenhuma indisponibilidade ou lentidão nesta terça-feira (28)”, disse o ministério.

Ao divulgar o balanço nacional, por volta das 19h30, o Ministério da Saúde enviou mais um posicionamento afirmando que os dados de São Paulo só serão incluídos no boletim de quarta-feira (29).

“A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo informou ter tido dificuldades para exportar a base de dados a tempo de atualizar o painel nacional. Desta forma, os dados serão atualizados nesta quarta-feira (29)”, disse o ministério.



Source link